FIETO

Em defesa dos interesses da indústria tocantinense

Palmas, 05 de dezembro de 2021 23:05

 

Notícia

Preço alto da matéria-prima e energia elétrica prejudica crescimento da indústria, diz pesquisa

08/11/2021 - 15h50
 
 
Foto: Adilvan Nogueira

 

Apesar do problema segmento está otimista e com boas expectativas para os próximos seis meses

Números apurados pela Sondagem Industrial, pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), referentes ao terceiro trimestre de 2021, revelam que a falta e o alto custo da matéria-prima (60,61%) e da energia elétrica (31,82%) foram os principais problemas enfrentados pelos empresários tocantinenses no período, o que resultou na queda na produção no período.

O preço elevado da matéria-prima e da energia elétrica pressionaram os preços da produção, o que pode ter contribuindo para a redução da margem de lucro no 3º trimestre, conforme aponta a pesquisa.

                O levantamento destaca que de julho a setembro o nível dos estoques permaneceu abaixo do planejado pelas indústrias e que o índice de empregados no setor ficou em 50 pontos, na linha divisória que separa queda e aumento, confirmando estabilidade do número de empregados.

Em relação ao trimestre anterior, foi mais difícil conseguir crédito segundo os empresários ouvidos. No entanto, o grau de dificuldade foi menor que o observado no mesmo período do ano passado.

A Sondagem Industrial da FIETO mostra também que os empresários tocantinenses estão otimistas e com boas expectativas para os próximos seis meses quanto à demanda, doméstica e externa, número de empregados e compra de matéria-prima. Com isso, o segmento se mostrou propenso a investir.

“Ainda estamos sentindo os efeitos da pandemia, que reduziu a oferta de matéria-prima e aumentou o custo com energia elétrica em todo o país. Mas há uma expectativa positiva do mercado para os próximos meses, o que tem segurado o nível de investimento”, analisa o presidente da FIETO, Roberto Pires.

               

ICEI

Já o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), também elaborado pela FIETO, alcançou 61,8 pontos em outubro, registrando um aumento de 1,9 ponto em relação ao mês de setembro.

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o índice permaneceu praticamente estável com variação de 0,1 ponto. Com esse desempenho, o ICEI segue acima da linha divisória dos 50 pontos, indicando que o setor industrial permanece confiante para os próximos seis meses.

O resultado positivo do ICEI ocorreu em função do aumento tanto no indicador de Condições Atuais, que passou de 52,8 para 53,6 pontos, quanto no de Expectativas que apresentou um incremento de 2,4 pontos ao atingir 65,9 pontos em outubro.

Estes valores acima dos 50 pontos indicam que na percepção dos empresários as condições atuais estão melhores na comparação com os últimos seis meses, e que as expectativas são otimistas.

Na avaliação nacional o ICEI atingiu 58 pontos, ficando 3,8 pontos abaixo do resultado registrado pelo Tocantins.

Por Júnior Veras

Foto: Adilvan Nogueira

 

 

 


 
 
 
ACSE 1 Rua de Pedestre SE 03 LOTE 34-A Edifício Armando Monteiro Neto Plano Diretor Sul - Palmas-TO CEP: 77020-016